segunda-feira, 13 de maio de 2019

quinta-feira, 2 de maio de 2019

PRÉ II RECEBE OS AVÓS NA ESCOLA

As turmas de Pré II 01 (matutino) e 03 (vespertino) da Professora Sonia Sueli Silva Bertoli receberam alguns avós na sala de aula. No período de adaptação a professora sentiu a necessidade das crianças conhecerem melhor a escola, suas dependências e as pessoas que aqui trabalham, além das turmas mais próximas. Realizaram um passeio pela escola, fotografando e entrevistando os responsáveis pelos espaços onde visitavam. Após este período, durante a roda de conversa surgiu a vontade de conhecer melhor também as famílias.
Há alguns anos vem se realizando na escola o “Dia da Família na Escola”, buscando aproximar "escola e família". Com isso, essas turmas resolveram iniciar um projeto que acontecerá ao longo do ano letivo para conhecer melhor as famílias das crianças. Inicialmente o projeto se chamou “Conhecer os avós é preciso”, que tem como objetivo conscientizar as crianças sobre o respeito e o cuidado que se deve ter com os familiares, estabelecendo laços de afetividade, especialmente com os avós, possibilitar estas vivências e ao mesmo tempo conhecer suas histórias de vida, desde quando eram crianças até os dias de hoje.

Durante o mês de março foi colocado em prática as etapas do projeto, desde o convite feito aos avós que as crianças pintaram com aquarela, a confecção dos envelopes, rodas de conversa preparando-as para a conversa com os avós, até o momento tão esperado onde receberam os avós, tanto da turma do matutino quanto da turma do vespertino.
A vovó Darli (vovó da Lavínia) trouxe uma máquina de escrever antiga. A oma Lori (oma do Enzo) trouxe cuca na latinha de sardinha, pois era assim que sua avó Lili fazia para ela. A vó Tereza (vó da Maria Eduarda) as crianças acharam ela “toda chique, chique mesmo”. A vó Lurdes (vó da Isabella Stolf) trouxe muitas fotos de quando ela era criança. Vó Vera (vó do Artur Gabriel) contou que brincava de pula-tábua na escola e ensinou uma música. Vó Rosemery (vó do Murilo) contou várias histórias da sua infância. E ainda a tia-avó Shirley (tia-avó da Larissa) que contou sobre suas brincadeiras de infância e relatou que gostava mais de brincadeiras de meninos.
A professora Sonia relata entusiasmada como está sendo desenvolver este projeto, “os avós que nos visitaram contaram muitas histórias vividas por eles na sua infância. Cada avó que vinha gerava uma expectativa muito boa nas crianças. A presença delas e suas histórias encantaram tanto as crianças como a mim mesma. Vivenciar essa experiência com os avós trouxe muito mais proximidade entre nós, família e escola”, comenta a professora.
Conforme forem realizando as demais etapas do projeto, estaremos divulgando aqui no blog. Assim que possível colocaremos o link com as demais fotos para visualização.


Texto e Publicação: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica 

segunda-feira, 29 de abril de 2019

EMEB RENATO PRADI PARTICIPA DO I SEMINÁRIO UNIVERSO AZUL, APAE E TEA


A coordenadora pedagógica Márcia Cristina de Paiva Silva representou a EMEB Renato Pradi no 1º Seminário Universo Azul, Apae e TEA, no dia 24, quarta-feira, no Centro Empresarial de Jaraguá do Sul.

A Apae teve sempre o foco na deficiência intelectual e a partir de 2017 apresentou-se uma nova realidade, fazendo com que a equipe fosse em busca desse Universo Azul, que é uma incógnita para muitos. A equipe tem se especializado e buscando se profissionalizar e melhorar a avaliação multidisciplinar e o atendimento a esse público, para com isso, capacitar e dar suporte aos profissionais de escolas que também atendem este público no ensino regular.

A primeira atividade foi conduzida pela psicóloga Letícia Fontana Lucas e pela terapeuta ocupacional Simone Orthmann. Em seguida neurologista Rafaela Montana Bayerl falou sobre “TEA: diagnóstico e trabalho”. À tarde, depois da apresentação cultural, a psicanalista e psicóloga Daniele Bridon abordou o tema “A metodologia IRDI e o laço educativo”, finalizando com a psicóloga Alini dos Santos Gorni sobre “Trata-se um autista, ou trata-se uma criança? Olhares que possibilitam um ir além”. 

Na avaliação da coordenadora pedagógica Márcia as palestras foram esclarecedoras, a condição do autístico é uma condição alheia às demais síndromes por ainda ser um universo desconhecido e sem causa aparente. Observa-se também a incidência maior em meninos que em meninas, por isso relaciona-se a cor azul para o autismo, mas não é uma regra, e cada caso deve ser acompanhado de forma particular, considerando as diferenças de cada indivíduo. 
Texto e Publicação: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica 

quinta-feira, 25 de abril de 2019

FIQUE LIGADO, VEM AÍ O ENCCEJA 2019


O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos – Encceja 2019 é a sua oportunidade para obter o certificado do ensino fundamental e médio.
Com ele, você pode concluir os seus estudos mesmo em idade avançada. Desse modo, estará preparado para ingressar no mercado de trabalho e fazer outras atividades que exijam esses diplomas.
A boa notícia é que ele é concedido gratuitamente para você fazer, o que se torna acessível para voltar a estudar depois de um bom tempo. Se este for o seu caso, então, não perca essa oportunidade que ocorre todo ano!
Sendo assim, você precisa ficar atento quanto ao prazo das inscrições, documentos exigidos, requisitos para participar, datas das provas, e demais informações.
O período das inscrições se iniciará em 20 de maio de 2019 finalizando em 31 de maio de 2019.
As provas acontecerão em 4 de agosto de 2019 (para ensino fundamental e ensino médio).
Para mais detalhes, acesse o site oficial Encceja 2019.
Texto e Publicação: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica